terça-feira, 10 de agosto de 2010

Apocalypse Now

Abertura com o fabuloso tema "The End" dos Doors.
"This is the end
Beautiful friend
This is the end
My only friend, the end
Of our elaborate plans, the end
Of everything that stands, the end
No safety or surprise, the end
I'll never look into your eyes...again
Can you picture what will be
So limitless and free
Desperately in need...of some...stranger's hand
In a...desperate land
Lost in a Roman...wilderness of pain
And all the children are insane
All the children are insane"


Saigão...


Martin Sheen é o Capitão Willard e recebe uma "missão voluntária" dos Serviços Secretos Militares Americanos.

Coronel Walter E. Kurtz (Marlon Brando) foi um dos melhores oficiais de todos os tempos no exércitos dos Estados Unidos. A partir de certa altura, as suas ideias, os seu métodos tornaram-se "pouco ortodoxos". Assassinou dois agentes secretos sul vietnamitas por pensar serem "agentes duplos".

A missão do Capitão Willard é "terminar" o comando do Coronel Kurtz por qualquer meio necessário.





Escreva a sua crítica ou comentário

As Cartas da Morte


O Coronel Kilgore (Robert Duvall) coloca sobre os cadáveres dos Vietcongs cartas, chamadas "Cartas da Morte", supostamente, para o inimigo saber quem fez isto.

Surfista famoso


Está o Coronel Kilgore a dar uma lição de "humanidade" a um seu soldado que não queria dar água a um Vietcong ferido com gravidade afirmando, "Quem é valente para combater, pode beber do meu cantil em qualquer dia..." mas, no preciso momento em que começava a dar de beber ao soldado ferido, alguém lhe diz que Lance Johnson, um surfista famoso, estava naquele local, ele esquece-se de dar água ao moribundo e vai ver o surfista. É uma das muitas cenas com um excelente humor negro apropriado para o filme.

Operação Psicológica


A operação psicológica era um ataque ao som da "Dança das Valquírias de Wagner.
"Aqui Romeo Fox Trot, vamos à dança?". Um dos momentos mais altos do filme!

Adoro o cheiro a Napalm pela manhã


O Tenente Coronel Kilgore manda bombardear uma parte da floresta para "limpar" os vietcongs que lá estão para poderem surfar à vontade.

Adoro o cheiro a Napalm pela manhã... ...cheira a vitória.

Jay "Chef" Hicks


Chamam-lhe "Chefe" porque ele é "Chef" de culinária, mais exactamente um "Sauciere", especialista em "molhos".
Quando o Chef juntamente com o Capitão Willard saem do barco para apanhar mangas são surpreendidos por um tigre.

Willard começa a compreender Kurtz


À medida que subiam o rio, o Capitão Willard lê e relê todo o ficheiro do Coronel Kurtz e começa a compreender as suas frustrações com o comando. Não poderia ser apenas insanidade e homicídio, todos os que combatiam tinham um pouco de ambos.

Playmates


Inspecção ao barco de pesca


Durante o percurso avistaram um barco Vietnamita que, aparentemente, transportava uma família de pescadores, vegetais e legumes. O Chief Phillips insistiu para efectuarem uma inspecção de rotina apesar do Capitão Willard querer prosseguir na missão que era prioritária. Durante a inspecção a barco "Clean" assustou-se e "metralhou" tudo o que se movia.

A morte de Tyrone 'Clean' Miller


Durante a subida são atacados por rockets que eram disparados de ambas as margens em fogo cruzado. Clean é atingido e morre.

Os aliados Franceses


Continuaram a subir o rio e encontraram uma milícia de algumas dezenas de elementos Franceses. Uma família Francesa recusou-se a abandonar as propriedades que estavam na família há mais de setenta anos. Montaram uma defesa forte e insistem em manter-se no local. Na cena do almoço esgrimem-se as diversas opiniões políticas sobre as razões e o possível desfecho da guerra.

"(..) e vocês Americanos, estão a lutar pelo maior nada da história (...)"

"(..)porque é que nunca se pode entrar no mesmo rio duas vezes? Porque o rio está sempre em movimento."

A morte de Chief Phillips


Continuaram caminho, rio acima, e foram atacados por uma chuva de flecha sem ponta, de madeira. Phillips assustou-se e ordenou para dispararem em todas as direcções. Apesar dos avisos do Capitão Willard, Phillips entrou em pânico a disparar em todas as direcções até que uma lança, com ponta metálica, foi atirada da margem por um indígena e acertou em cheio no peito do Chefe Phillips.

A chegada ao destino


Quando chegam ao fim do rio, são cercados por centenas de indígenas com o corpo pintado de branco. Ao chegar à margem são recebidos por um foto-jornalista que diz que todos aqueles indígenas são "filhos" do Coronel Kurtz. O cenário era de terror, existiam corpos por todo o lado, algumas cabeças humanas também. Kurtz tinha realmente enlouquecido.
Quando o levaram à presença de Kurtz, figura enigmática ...





Talvez o melhor filme de guerra alguma vez feito... (é só a minha opinião, deixe a sua)

3 comentários:

Anónimo disse...

Para quem não conhece, o filme é inspirado pelo romance "O Coração das Trevas" de Joseph Conrad, e transporta para as selvas do Cambodja a aventura do Capitão Willard, que lidera um destacamento de soldados com a missão de eliminar o Coronel Kurtz, que enlouqueceu e montou uma milícia dentro da selva, mas a jornada através do rio Nung, cheia de situações surreais e tensas acaba afetando a mente dos próprios soldados. Me impressiona como até hoje o filme é uma porrada sensorial de imagens e som, principalmente vista num cinema. A cena do bombardeio de Napalm ao som da Cavalgada das Valkírias de Wagner, a lisérgica cena do ataque à ponte, estão entre várias memoráveis. Além disso, os diálogos são excelentes, interpretados por atores fantásticos como o lendário Marlon Brando, um denso Martin Sheen, além de Robert Duvall e Dennis Hopper. Como uma curiosidade para o público de hoje, duas pontas dos então jovens Harrison Ford e Lawrence Fishburne.

Anónimo disse...

Francis Ford Coppola enfrentou as filmagens mais complicadas de todos os tempos em `Apocalypse Now`. No meio da produção, o protagonista Martin Sheen sofreu um ataque cardíaco, Marlon Brando estava com o ego inflado, um furacão destruiu os sets, e o orçamento estourou. Foram tantos imprevistos que Coppola ameaçou tentar se matar em vários momentos. Qualquer coisa, mas qualquer coisa sairia desse ambiente, menos uma obra-prima. Não foi isso que aconteceu. Dessa confusão toda surgiu `Apocalypse Now`, um dos dramas de guerra mais incríveis já realizados. Coppola não mediu esforços para concluir o filme. Superou os ínúmeros obstáculos e entregou ao mundo (mais precisamente ao Festival de Cannes de 1979) um filme de guerra ao mesmo tempo realista e surreal. Uma verdadeira viagem (sem grandes efeitos especiais) ao terror e ao horror (`O Horror...O Horror...`) que uma guerra causa, tanto num país, quanto numa mente. `Apocalypse Now` é um filme anti-belicista, um filme pacífico que expõe as atrocidades desses conflitos e os discute profundamente, levando o espectador a reflexões como nenhum outro filme de guerra conseguiu levar. Tudo isso combinado com uma parte técnica não menos do que perfeita, da fotografia ao roteiro.

Anónimo disse...

O Apocalypse Now, de Francis Ford Coppola, de 1979, adaptação brilhante do livro ‘O Coração das Trevas’, de Joseph Conrad, volta aos cinemas com mais 53 minutos, cópia e som novíssimos, mas sem perder um milímetro da fúria original. Se a primeira versão já era boa, esta revisão ampliada é uma obra-prima. Relembrando o enredo: estamos na Guerra do Vietnã, e o capitão Benjamin Willard (Martin Sheen) recebeu uma missão absolutamente sigilosa e, no mínimo, estranha: eliminar não um bando de vietcongues, mas o condecorado coronel Walter Kurtz (Marlon Brando). Ele perdeu a cabeça durante o conflito, desertou e, no Camboja, resolveu montar seu próprio exército, que o adora como um deus.